domingo, 30 de janeiro de 2011

Love and other Drugs

Ora aqui está um filme cuja tradução para Português poderia ser a tradução literal que ficaria bem melhor do que o piroso "O Amor é o melhor remédio". Vi-o ontem à noite enquanto fazia tempo antes de sair para o Bairro. Fui sozinha, e calhei de ficar sentada ao lado de um quarentão desacompanhado que deve ter achado que, se eu estava ali só, a um sábado à noite, devia procurar companhia. Homens do país, não sejam redutores ao ponto de assumirem o cenário mais básico de todos ok? Poupam-se ao ridículo e poupam a desgraçada do lado aos comentários parvos de quem só quer estar sossegada. Ainda para mais o filme tem um monte de cenas de sexo e lá estava aquela figura do lado, com ar rançoso e a querer manter conversa à força toda.

Gostei do filme, mas foi a vez que saí mais rápido da sala de cinema, nem esperei sequer pelo início dos créditos, não fosse a figura seguir-me. É divertido, os actores têm química e são um colírio para os olhos - Jake para as meninas, Anne pros meninos - vê-se muito bem e faz-nos pensar. No final fica a verdade da frase que a personagem masculina diz a fechar o filme: qualquer coisa como "existem milhões de pessoas no mundo com quem nos cruzamos e que não nos dizem muito ou quase nada mas depois aparece uma, uma pessoa apenas que é capaz de mudar o nosso mundo inteiro"

E, na verdade eu nunca estive sozinha na sala de cinema porque àquela hora , a um oceano de distância, estava essa pessoa única a ver o exacto mesmo filme.

3 comentários:

  1. E bem dizem que não há coincidências...
    :)
    Estou ansiosa de ver esse filme,acho que ainda será esta semana.

    ResponderEliminar
  2. Também quero muito ver este filme e era para ter sido no fim-de-semana, mas ainda não foi desta!

    ResponderEliminar